As várias formas de cozinhar

As várias formas de cozinhar

Partilhe com os seus amigos ...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

As várias formas de cozinhar

Nem todas as maneiras de confecionar alimentos são saudáveis e a prova está nos fritos. Devemos evitar fritar, quer sejam , , ou . A melhor maneira de fazer é cozer ou escalfar em água, ou no próprio líquido de um estufado, como por exemplo as ervilhas estufadas com .

Cozer alimentos em água é o mais usual, sendo uma maneira saudável de cozinhar, mas mesmo assim não tanto como a cozedura a vapor, em que os alimentos não estão em contacto com a água, mantendo todos os seus nutrientes. Neste tipo de confeção podem ser usados todos os legumes, algumas frutas, carne e peixe. Nem todas as vermelhas servem para cozer, devido à sua fibrosidade, ficando muito rijas, mas as brancas, de aves, podem ser tranquilamente cozidas em água ou ao vapor. Além disso, devemos evitar o consumo de vermelhas, mais prejudiciais para a saúde.

Cozinhar no , sem ou com muito pouca gordura e sempre vegetal, de preferência extra-virgem, é outra boa maneira de preparar a carne, peixe e diversos legumes. Se forem peças pequenas de carne, peixe ou legumes, pode optar por usar o papelote, feito com uma folha de papel de alumínio, onde se envolvem os alimentos para cozinharem fechados em forno bem quente. Isto permite conservar melhor o sabor e a humidade dos alimentos.

Grelhar na chapa também é bom, podendo ser usado igualmente para peixe, carne, legumes e algumas frutas, mas devemos evitar os grelhados em carvão, devido aos componentes que são libertados pela combustão.

Desde que se use muito pouca gordura, sempre vegetal, e não se façam refogados demasiado apurados, estufar os alimentos torna-os saborosos mantendo-os saudáveis. Para estufar, cozinha-se lentamente vegetais, carne ou peixe em pouco líquido, que se transforma num apetitoso por ação da evaporação. Neste podem ser escalfados ovos, por exemplo.

http://clinicadotempo.com/varias-formas-cozinhar

Post Author: Clínica do Tempo