Dicas Congelar Alimentos

Truques na Cozinha,

Partilhe com os seus amigos ...Pin on Pinterest
Pinterest
Share on Facebook
Facebook
Share on Google+
Google+
Tweet about this on Twitter
Twitter

Dicas Congelar Alimentos


– Com excepção da banana e da pêra d’água, todas as frutas podem ser congeladas inteiras ou cortadas, em forma de puré ou sumo, devendo-se descascar e retirar os caroços imediatamente antes do congelamento.

– As carnes, bem como aves e peixes, devem ser limpos; e partes não comestíveis (como a gordura excedente) devem ser retiradas.

– Guarde pequenas quantidades no congelador.

– Embalar alimentos em sacos plásticos traz vantagens. Economiza recipientes, lugar no congelador e é super prático na hora de descongelar, basta rasgar o plástico e pôr o alimento na panela.

– Para congelar sopas é só esperar que arrefeçam. Depois, coloque um saco de plástico dentro de uma caixa e despeje o líquido no saco até chegar um pouco antes do limita da caixa. Feche e leve ao congelador. Depois que congelar, tire o saco da caixa e pronto! A caixa está livre para ser usada noutras situações o e seu congelador, todo organizado com os “pacotinhos” de sopa enfileirados lado a lado.

– Os tomates não podem ser congelados inteiros, apenas na forma de molho. Uma boa ideia é batê-los no liquidificador, com ou sem casca, cozinhar por cerca de 10 minutos e temperar com um pouco de sal e uma pitada de açúcar.

– Pode congelar qualquer doce. E o tempo de congelamento é mais ou menos o mesmo que outros alimentos, até 6 meses. E para descongelar, tire do congelador umas 8 horas antes de o comer em tempo de calor. Você pode congelar num pote plástico um em cima do outro colocado de uma maneira delicada, fechar com a tampa e colocar no congelador.

Técnicas Básicas de Congelamento

– Todo alimento a ser congelado deve ser fresco, limpo e de boa qualidade.

– O congelamento deve ser providenciado logo após a compra dos produtos.

– Os alimentos que serão congelados prontos devem ser levemente temperados e cozidos apenas pelo tempo mínimo necessário, pois o congelamento tende a acentuar os temperos e amaciar os alimentos.

– Depois de pronto, arrefeça rapidamente os alimentos após o cozimento ou fervura.

– Os alimentos podem ser consumidos até 24 horas depois de serem retirados do congelador.

– O alimento não pode voltar ao congelador, excepto no caso de um produto cru que venha a ser transformado num prato pronto.

– Para que o congelador trabalhe perfeitamente, este deve operar, no mínimo, a -18º C.

– O congelamento além de evitar que se desenvolvam micro-organismos, ele não altera as características dos alimentos, desde que submetidos a boas condições de armazenamento, ou seja, de acordo com as técnicas recomendadas.

– O congelamento tem muitos benefícios: num dia é possível preparar o cardápio de toda a semana; a visita ao supermercado é menos frequente; os menus para festas, recepções e ocasiões especiais têm a sua preparação antecipada; o consumo de gás cai porque maiores quantidades de alimentos são preparadas ao mesmo tempo; os alimentos podem ser adquiridos a preços mais baixos e o desperdício é eliminado porque os alimentos são congelados na quantidade certa para o consumo.

– Conservar ou coentro – pô-las, picadas em forma de gelo, juntar água e levar ao congelador. Quando precisar utilizar essas ervas, pegue nos cubinhos de gelo e junte-os ao prato que estiver a fazer.

– Evite congelar quaisquer tipos de queijos, pois isso interfere no sabor e aroma. Se o congelamento for necessário prefira usá-los para fins culinários.

– O congelamento não destrói os microrganismo dos alimentos. Ele apenas inibe o crescimento das bactérias e torna mais lento o trabalho das enzimas, retardando a deterioração. Assim, certos cuidados devem ser tomados para diminuir o risco. Como o congelamento não melhora a qualidade dos alimentos, uma boa medida é usar sempre alimentos frescos e em perfeitas condições. Depois de limpo e preparado, o alimento deve ser resfriado, embalado e congelado o mais depressa possível.

– Os alimentos devem ser descongelados no frigorífico (descongelamento lento), ou no microondas, ou em temperatura ambiente por, no máximo, quatro horas. O descongelamento na temperatura ambiente é o mais apropriado para tortas, bolos, doces e frutas. O descongelamento no frigorífico é indicado para alimentos de descongelamento lento, como queijos e carnes cruas. Já o descongelamento no /microondas ou fogão é usado para todos os pratos prontos.

– O alimento deve estar sob embalagem adequada.

Tempo de conservação de cada alimento no congelador:

CARNES

BOI

magra – 10 a 12 meses

carne gorda ou com osso – 4 a 6 meses

carne moída ou picada – 3 a 4 meses

miúdos – 2 a 3 meses

carne salgada ou defumada – 1 mês

PORCO

carne magra – 5 a 6 meses

carne gorda ou com osso – 2 a 3 meses

carne moída – 1 a 3 meses

presunto – 2 meses

toicinho – 1 mês

CORDEIRO E CABRITO

carne magra – 7 a 9 meses

carne gorda ou com osso – 4 a 5 meses

carne moída – 2 a 3 meses

peças grandes, bifes e costelas – 6 a 9 meses

carne moída – 2 a 3 meses

CARNE COZIDA

de primeira, sem gordura – 3 a 4 meses

de primeira com gordura – 2 a 3 meses

de segunda, sem gordura – 1 a 2 meses

de segunda, com gordura – 1 mês

FRIOS

salsicha, linguiça, chouriço – 1 mês

AVES

FRANGO, CAPÃO, GALO, PERU, , CODORNA E PERDIZ

inteiro – meses

em pedaços – 9 meses

miúdos – 3 meses

PATO E GANSO

inteiro – 6 meses

em pedaços – 3 meses

AVE COZIDA EM PEDAÇOS

com molho ou caldo – 6 meses

sem molho – 1 mês

PEIXES

PEIXES GORDOS (SARDINHA, TAÍNHA, ATUM, ETC.)

inteiros – 1 a 3 meses

filetes ou postas – 3 a 4 meses

PEIXES MAGROS ( LINGUADO, PESCADA, BADEJO, ETC.)

inteiros – 4 a 6 meses

filetes ou postas – 6 a 8 meses

peixes cozidos – 1 a 2 meses

ostras – 2 meses

vôngole – 6 meses

– 3 meses

vieira – 3 meses

siri e caranguejo – 3 meses

camarão – 6 meses

– 3 meses

lula – 3 meses

polvo – 6 meses

Pizza preparada (atum, camarão, linguiça) – 1 mês

Esfiha – 3 meses

Pastéis – 3 meses

Coxinhas – 3 meses

Croquetes – 3 meses

Quibes – 3 meses

Sanduíches – 1 mês

VEGETAIS

branqueados – 6 meses.

se armazenados em pratos feitos – 3 meses