Chá de Cavalinha

Chá de Cavalinha

Partilhe com os seus amigos ...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

Chá de Cavalinha
É útil para combater a retenção de líquidos, edemas e gordura localizada

Esta planta espontânea em Portugal, que cresce preferencialmente junto a riachos, tem sido alvo da atenção dos investigadores.
Num dos estudos, realizado em 1999, 122 mulheres na menopausa foram divididas em quatro grupos, cada um deles a tomar extracto de cavalinha, cálcio, placebo ou sem qualquer intervenção. Ao fim de 80 dias, os resultados não demonstraram qualquer efeito nos dois últimos grupos.

Já as pacientes tratadas com a cavalinha obtiveram os mesmos efeitos que as tratadas com cálcio: melhoria no metabolismo dos ossos e diminuição da perda de minerais. E, ao fim de um ano, reduziram os valores da osteoporose em mais de 2%, sem efeitos adversos.

Princípios activos

Destaca-se o sílicio, um mineral essencial para reforçar o tecido conjuntivo, ligamentos e tendões, o óleo essencial com acção antibiótica e taninos e flavonóides com acção regeneradora dos tecidos, anti-inflamatória e antioxidante.

Principais propriedades

É uma planta aquarética, pois estimula a eliminação de água (aumentando a quantidade de urina) mas não de sais minerais. Pelo contrário, devido ao seu elevado conteúdo em sais minerais, actua como remineralizante, uma acção inversa aos fármacos diuréticos que os eliminam juntamente com a urina.

É, por isso, utilizada na retenção de líquidos, edemas e como coadjuvante no tratamento da perda de peso e gorduras localizadas, juntamente com plantas termogénicas como o chá verde e a amarga. Estimula ainda o crescimento do cabelo e unhas.

Outras propriedades

Tem uma acção cicatrizante, sendo por isso utilizada no tratamento das úlceras de estômago e duodeno, colites e doenças inflamatórias do intestino. Externamente, regenera a pele, aumentando a cicatrização de feridas, úlceras e melhorando as varizes.

É ainda um bom coadjuvante no tratamento da hipertensão por diminuir os líquidos orgânicos, sendo conjugado com o ou o espinheiro branco. Finalmente, utilizada na osteoporose, aumenta a fixação do cálcio na matriz óssea.

Administração

– Comprimidos: 500 mg a 1g/dia.

– Chá: 1 colher de fervida durante 1 minuto (desligue o lume, deixe beba até 3 x por dia).

Precauções

Não se deve fazer uma toma continuada por mais de 15 dias e repousar 15 dias até retomar.

Remédios caseiros

Faça uma pomada para drenar gorduras localizadas. Junte cinco colheres de sopa do gel de aloé vera, ½ colher de sopa de e de caiena. Aplique nas zonas afectadas e envolva com um plástico durante 30 minutos.

A temperatura nos adipócitos vai aumentar estimulando a sua eliminação. Em seguida, coloque um cataplasma de argila verde durante mais 30 minutos e, simultaneamente, beba chá de cavalinha com bétula e dente de leão.

Revisão científica: João Beles (naturopata, coordenador do curso de Naturopatia do Instituto de Medicina de Lisboa)

Post Author: Receitas de Portugal