Caldo de Vegetais Doces

Caldo de Vegetais Doces

Partilhe com os seus amigos ...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter

de Vegetais Doces

Este é um dos remédios caseiros que mais gosto, se tivesse uma vida menos ambulante beberia um caldo de vegetais doces todos os dias. Tenho tendência a oscilar tremendamente de humores, os mais próximos podem queixar-se que não os censuro. Esta ajuda-me a estabilizar os níveis de no e consequentemente a ficar mais dócil (os mais próximos agradecem, eu sei).

Para além destes benefícios é altamente reconfortante, e quentinho, mesmo a calhar para estes dias frios e cinzentos, que por sinal já podiam começar a dar lugar ao sol, nada contra o Inverno, mas já chega. Se o frio vos chateia bebam um caldinho de vegetais doces para acalmar os nervos, resulta.

“O caldo de vegetais doces é um dos remédios caseiros mais prescritos em macrobiótica. Tal justifica-se devido ao consumo exagerado de produtos animais (yang) e que conduz a uma tensão no pâncreas. Esta tensão gera uma necessidade de estímulos exageradamente yin (bolos, bolachas, chocolate, pão, bebidas alcoólicas, refrigerantes, etc.) como forma de obter algum equilíbrio. Durante todo este processo o pâncreas acaba por ter que trabalhar sobre tensão e, ao fim de algum tempo, decresce a sua capacidade de manter estáveis os níveis de açúcar sanguíneos, resultando numa condição que afecta provavelmente 2/3 da população ocidental – a hipoglicemia, ou seja, níveis crónicos baixos de açúcar no sangue.

A virtude do caldo de vegetais doces reside no facto de ser uma bebida doce que satisfaz as necessidades urgentes de açúcar de uma forma suave, conferindo a todo o organismo, nomeadamente o pâncreas, essa vibração.

Caldo de Vegetais Doces

Ingredientes:

Água, cebolas, cenouras, couve-coração e abóbora, também pode usar-se nabo. Destes 5 escolha 4 para usar.

Preparação:

Cortar quantidades idênticas de cada legume em pedaços médios.
Cobrir os legumes de água e deixar ferver destapado.
Diminuir a intensidade da chama, tapar e durante 20 minutos.
Coar, esprema os legumes na totalidade, até obter todo o que contém (a polpa dos legumes poderá ser adicionada a uma sopa).
Beber morno ou quente.
A bebida que sobra pode ser guardada no frigorífico durante 2 dias e deve ser aquecida antes de ser ingerida.

A frequência com que deve ser consumida varia em função da condição da pessoa, podendo ir de 1 a 2 chávenas uma vez por dia, ou dia sim, dia não, durante 3 a 4 semanas.”

excerto do livro “Remédios Caseiros” de Francisco Varatojo, Editora Ume

http://macroexotic.com/